Copyright 2021 - www.depcarlospimenta.com.br - Website desenvolvido pela Agência Objetividade
Quarta, 28 Outubro 2020 19:13

O Câncer de mama foi tema de debate dentro do Outubro Rosa

Avalie este item
(2 votos)
O Câncer de mama foi tema de debate dentro do Outubro Rosa Foto: Henrique Chendes / ALMG

A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas discutiu nesta quarta-feira, 28/10/2020, as políticas públicas desenvolvidas no Estado para o diagnóstico e tratamento do câncer de mama e as ações de prevenção e combate da doença por ocasião do Outubro Rosa, campanha nacional de conscientização sobre a doença.

A reunião foi conduzida de forma brilhante pelo deputado Carlos Pimenta, presidente da Comissão de Saúde e autor do requerimento. A pedido de várias deputadas da Casa, Pimenta não apenas abraçou a causa, como também foi um dos responsável pela campanha de doação de lenços a pacientes em tratamento do câncer de mama. Foram arrecadados 200 lenços que serão doados a quatro (4) Instituições que ajudam de uma forma ou de outra, a minimizar o sofrimento de quem luta pela cura da doença. Três (3) instituições são de Belo Horizonte e a Associação Presente, de Montes Claros.

Na abertura dos trabalhos, o deputado Carlos Pimenta lembrou que o câncer de mama é o que mais acomete e mata as mulheres no Brasil e no mundo. “Muitas mulheres estão fazendo diagnósticos tardios, algumas se condenando a uma vida mais difícil e até perdendo a vida”, lamentou Carlos Pimenta. O deputado sugere que o Estado faça um trabalho de conscientização e chamamento para que essas mulheres façam o exame.

Suspensão de diagnóstico em Minas é criticada

Deputados que compõem a Comissão de Saúde criticaram a suspensão em Minas Gerais do programa de carretas da mamografia, que permitia a realização do exame em locais onde não existiam unidades fixas para sua realização. O aparelho era transportado em carretas que ofereciam o exame gratuitamente em todo o Estado.

Carlos Pimenta e Doutor Wilson Batista afirmaram que a mamografia móvel ampliou a cobertura do exame em Minas Gerais. O presidente da comissão afirmou que o serviço facilita o acesso a mulheres que moram em locais mais distantes e com dificuldades de movimentação, especialmente na pandemia. Doutor Paulo sugeriu, para minimizar o problema, direcionar parte das emendas parlamentares para permitir a realização dos exames nos municípios que não contam com o aparelho.

Dados da própria Secretaria de Saúde apontam que, em 2019, menos de 35% das pacientes iniciaram o tratamento dentro do prazo estipulado pela lei. O tratamento tardio, conforme alertaram todos os participantes da audiência, é mais caro e menos eficaz. “O diagnóstico precoce aumenta as chances de cura em 95%”, pontuou a deputada Laura Serrano.

A deputada admitiu que é preciso melhorar o tempo do atendimento entre o diagnóstico e o tratamento, mas observou que o prazo, em Minas Gerais, foi menor em 2019 do que nos anos anteriores.Segundo a presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia SBM/MG, Annamaria Massahud, 99% das mulheres que iniciam precocemente o tratamento apresentam uma sobrevida de pelo menos 5 anos a mais do que 27% que diagnosticam a doença em estado avançado.

 

Foto: Henrique Chendes / ALMG

 

Prevenção é o melhor remédio

Os participantes da audiência pública foram unânimes em considerar que, além do diagnóstico precoce, a prevenção ao câncer pode evitar muitas mortes entre as mulheres brasileiras. A doença atinge mais as mulheres após os 50 anos, aquelas que tiveram a primeira menstruação antes dos 12 anos de idade e menopausa após 55 anos; que tiveram a primeira gravidez após os 30 anos ou não tiveram filhos. Mas existem fatores de risco que podem ser evitados, por mudanças de hábitos e estilo de vida: fumo, bebida em excesso, sedentarismo, sobrepeso ou obesidade, especialmente após a menopausa. Manter alimentação mais saudável também pode prevenir a doença.

De acordo com a médica Oncologista e presidente da Associação Presente de Apoio a Pacientes com Câncer – Padre Tiãozinho, de Montes Claros, Príscila Miranda Soares, três em cada dez pacientes diagnosticadas poderiam ficar livres das doenças se cultivassem os hábitos saudáveis. A médica atenta que uma em cada 10 mulheres terá câncer de mama no mundo, o que representa 25% dos cânceres que acometem as mulheres.

A deputada Celise Laviola também se mostrou preocupada em ampliar a cobertura de exames e tratamento. Ela relatou o caso de sua mãe que teve a doença já em idade avançada e hoje, aos 91 anos, já se recuperou porque fez o diagnóstico muito precocemente. “A cura vem se for bem conduzida no tratamento”, finalizou.

Lido 793 vezes Última modificação em Terça, 24 Novembro 2020 14:31

Endereços

 

Gabinete em Belo Horizonte

Endereço:

Rua Rodrigues Caldas, 30
Palácio da Inconfidência - gabinete 242
Santo Agostinho
Belo Horizonte - MG
CEP 30190921

Telefone: (31) 2108-7185

Email: dep.carlos.pimenta@almg.gov.br

 

Escritório político em Montes Claros

Endereço: Rua Coronel Luiz Pires, nº 84, sala 501 / bairro: Centro / Montes Claros - MG / CEP: 39400-106

Telefone: (38) 3081-9888